Seguidores

domingo, 19 de agosto de 2012

Mandamentos da Igreja - Mudou em 2005, você sabia? Continuação

Olá povo de Deus!
Recebi alguns e-mails e também a Cris comentou no post anterior sobre a mudança no enunciado do 5º mandamento...  a verdade é que foi pouco comentado... mas divulgado foi.  

O fato é que muitas vezes nós católicos não nos habituamos a  ler as notícias diretamente na fonte... muitas vezes fazemos parte de determinadas pastorais mas não aprofundamos nossos conhecimentos sobre o tema... é uma pena mas é a realidade.  

Costumo dizer que  a maioria das pessoas compram equipamentos novos mas não querem perder tempo lendo o manual.... ou então olham apenas as figurinhas para verem como montam...rsrsr   Não é verdade? Aí acabamos perdendo detalhes que podem fazer a diferença.  Neste quesito eu sou super enjoadinha... amo ler o manual antes de ligar novos equipamentos... as vezes quando acabo de ler meus filhos já estão até usando... mas eu leio...rsrrs

E o nosso manual é o Catecismo da Igreja Católica.

Bom voltando ao tema do post... podem pesquisar e carinhosamente divulgar para as pastorais das paróquia da qual fazem parte pois se ainda usam o termo antigo, não estão seguindo o que nossa Igreja através do Papa Bento XVI prega... se não sabiam não pecavam... mas agora que contei para vocês é dever anunciar a mudança e evangelizar corretamente.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA
A IGREJA, MÃE E EDUCADORA

II. Os preceitos da Igreja
2041. Os preceitos da Igreja inserem-se nesta linha duma vida moral ligada à vida litúrgica e nutrindo-se dela. O carácter obrigatório destas leis positivas, promulgadas pelas autoridades pastorais, tem por fim garantir aos fiéis o mínimo indispensável de espírito de oração e de esforço moral e de crescimento no amor a Deus e ao próximo. Os preceitos mais gerais da Igreja são cinco:
2042. O primeiro preceito («Ouvir missa inteira e abster-se de trabalhos servis nos domingos e festas de guarda») exige aos fiéis que santifiquem o dia em que se comemora a ressurreição do Senhor, bem como as principais festas litúrgicas em honra dos mistérios do Senhor, da Bem-aventurada Virgem Maria e dos Santos, que a Igreja declara como sendo de preceito, sobretudo participando na celebração eucarística em que a comunidade cristã se reúne e descansando de trabalhos e ocupações que possam impedir a santificação desses dias (86).
O segundo preceito («Confessar-se ao menos uma vez em cada ano») assegura a preparação para a Eucaristia, mediante a recepção do sacramento da Reconciliação que continua a obra de conversão e perdão do Baptismo (87).
O terceiro preceito («Comungar ao menos pela Páscoa da Ressurreição») garante um mínimo na recepção do Corpo e Sangue do Senhor, em ligação com as festas pascais, origem e centro da liturgia cristã (88).
2043. O quarto preceito («Guardar abstinência e jejuar nos dias determinados pela Igreja») assegura os dias de ascese e de penitência que nos preparam para as festas litúrgicas e contribuem para nos fazer adquirir domínio sobre os nossos instintos e a liberdade do coração (89).
O quinto preceito («prover as necessidades da Igreja, segundo os legítimos usos e costumes e as determinações») aponta ainda aos fiéis a obrigação de prover, às necessidades materiais da Igreja consoante as possibilidades de cada um (90).

2 comentários:

  1. Oi Cláudia!! Bom você ter colocado o trecho do catecismo. Uma vez eu falei sobre isso, e uma catequista não acreditou que tinha mudado. Agora, tenho um argumento valioso: tá no catecismo! Obrigada. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cris, é isso aí... mostre as catequistas que vc puder, assim elas multiplicarão a informação aos catequizandos. Também me perguntaram de onde eu "tirei" essa informação... por isso coloquei no post o link do vaticano, assim não ficam dúvidas.

      Paz de Cristo querida!

      Excluir

Obrigada pelo contato, responderei o mais breve possível!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...